quinta-feira, 19 de maio de 2016

Pizza com base de batata-doce

Um dia farei um post sobre o trigo. Para já apenas vos digo, que há bem poucos meses eu defendia que o glúten era uma proteína inofensiva para quem não era intolerante. Mal sabia eu! Leituras e mais leituras (o meu vício) mais tarde, em que relacionavam o glúten com a tiroidite de Hashimoto (minha companheira de horas vagas e não só), finalmente decidi fazer o teste. Os efeitos não se fizeram esperar, voltei a tentar introduzir por 2x e foi o suficiente para que ele saísse da minha vida! Eu que adorava massas e pão e os bolos! E como faço agora? Faço o mesmo! O bem que me sinto desde que o deixei de consumir não me deixa saudades nenhumas desses produtos! Se vos posso aconselhar, experimentem! :)


Já fiz várias massas de pizza Paleo, sem cereais. Esta base foi uma das que mais gostámos! Claro, não é bem uma pizza...mas é boa, e no fim, isso é que conta!

A mandolina Borner é uma ajuda preciosa. Sim, claro que também o faríamos à mão, é certo, mas poupa-se tempo, fica mais certinho e mais fino! Sou fã!

Batata-doce
Polpa de tomate
Queijo ralado
Espargos verdes
Cogumelos frescos
Orégãos secos
Sal marinho
Azeite q.b.

1. Começar por descascar a batata-doce e cortar depois com a placa de rodelas grossas. Dispôr no fundo de uma forma redonda (eu forrei com papel vegetal). Regar com azeite e levar ao forno a 225ºC até estarem cozidas mas não tostadas.



2. Dar uma escaldadela nos espargos. Escorrer e reservar.
3. Cortar os cogumelos com a placa de rodelas finas.

4. Colocar os ingredientes sobre as batatas, primeiro a polpa e depois os restantes ingredientes. Se necessário regar com azeite, temperar com sal marinho e polvilhar orégãos secos. Levar novamente ao forno até estar a gosto.


Espero que gostem!